Riscos para a saúde do excesso de peso

0
1174

As pessoas que perdem peso com sucesso muitas vezes são motivadas a fazê-lo mantendo sempre em mente os benefícios para a saúde da perda de peso. Pessoas com excesso de peso e obesas têm um risco maior de desenvolver doenças graves e às vezes fatais à medida que envelhecem, incluindo:

  • Doença cardíaca;
  • Ataque Cardíaco;
  • Insuficiência Cardíaca;
  • Doença Arterial Coronariana (DAC);
  • Pressão arterial elevada;
  • Angina;
  • Batimentos cardíacos anormais;
  • Problemas de colesterol (levando a doenças cardíacas);
  • LDL elevado (“mau” colesterol) e triglicéridos;
  • HDL reduzido (“bom” colesterol)
  • Diabetes tipo 2 (aquele tipo que se desenvolve e não se nasce com);
  • Cancro (próstata, vesícula biliar, colo-rectal, mama, endométrio e rins);
  • Problemas de fígado (tais como um aumento do fígado, cirrose ou um fígado gordo);
  • Apneia do sono (ronco e dificuldade para respirar durante o sono)
  • Artrite;
  • Cálculos biliares (nas mulheres);
  • Problemas reprodutivos (períodos irregulares, aumento da probabilidade de defeitos de nascimento, defeitos do tubo neural, e especialmente um aumento do risco de morte da mãe e do bebe).
  • Problemas de memória e aprendizagem (mais provável nos homens).

O risco de desenvolver algumas dessas doenças graves (como diabetes tipo 2 ou artrite) tende a aumentar à medida que a pessoa fica mais pesada.

Consequências psicológicas do excesso de peso

Consequências psicológicas do excesso de peso ou de ser obeso podem incluir a diminuição da autoestima e ansiedade, e distúrbios mais graves, como depressão e transtornos, como a compulsão alimentar, bulimia e anorexia.

As razões para que isso aconteça não são difíceis de entender. A cultura moderna é singular na forma de adorar corpos jovens magros e tonificados. Com raras exceções, apenas corpos finos e proporcionais são considerados elegantes. E portanto as pessoas com excesso de peso ou obesas são menosprezadas facilmente. É fácil sentir-se mal consigo, e deprimir ou desenvolver ansiedade e obsessões em torno da alimentação quando a cultura em que estamos inseridos deixa claro que determinadas aparências são totalmente indesejáveis.

Também não é necessário, apenas estar acima do peso para se desenvolver problemas psicológicos com a alimentação. Comer é prazeroso, e porque isso é verdade, todos os tipos de pessoas (independentemente do peso) acabam por usar a comida como uma fonte de conforto emocional quando expostas ao stress.

Por isso é sem surpresa que a alimentação “induzida” pelo stress leva ao ganho de peso, o que por sua vez leva muitas pessoas (especialmente as mulheres) a sentirem-se ainda pior em relação a si mesmas, motivando ainda mais a alimentação por stress e consequente ganho de peso adicional. Com demasiada frequência, a alimentação “induzida” pelo stress torna-se um conforto e acaba-se por virar um ciclo vicioso e originar uma espiral descendente.

Perda de energia e alegria para a vida

Se os aspetos negativos de saúde e a vergonha de estar acima do peso não são suficientes, as pessoas com excesso de peso também tendem a ter menos energia do que os seus semelhantes com peso normal. Porque é necessário mais esforço para essas pessoas estarem ativas, tendem a gravitar em torno de estilos de vida de baixa atividade e tornarem-se sedentárias.

Um círculo infeliz desenvolve em que as pessoas menos ativas tornam maior o seu risco de ganhar ainda mais peso, e quanto mais peso as pessoas ganham, menor é a probabilidade de estas tornarem-se ativas.

Com o tempo, mesmo as tarefas comuns do dia-a-dia como subir um lance de escadas podem levar à exaustão e criar uma sensação de envelhecimento prematuro. Mas…

Porquê que as pessoas tornam-se obesas?

Ao longo do tempo, se comer e beber mais calorias do que seu corpo necessita ou “queima”, este pode armazenar a energia extra, levando ao ganho de peso. Muitos fatores podem contribuir para o excesso de peso.

O mundo ao seu redor

Comunidades, casas e locais de trabalho podem afetar decisões de saúde das pessoas. Alimentos ricos em gordura, açúcar adicionado, e as calorias são fáceis de encontrar. Também muitas vezes custam menos do que escolhas mais saudáveis, como frutas e legumes. Além disso, muitas pessoas não têm acesso a lugares seguros onde possam ser fisicamente ativas e praticar as suas atividades favoritas. Em cima disso, muitas ferramentas e dispositivos, como controlos remotos potenciam um estilo de vida menos ativo.

Famílias

Excesso de peso e obesidade tendem a ser “hereditários” nas famílias. A investigação mostra que os genes podem desempenhar um papel na obesidade. As famílias também partilham hábitos alimentares, que podem afetar a forma como, quando, e aquilo que comemos.

Medicina

Alguns medicamentos, como esteroides (usados para reduzir o inchaço) e alguns medicamentos para a depressão e outros transtornos psiquiátricos, podem levar ao ganho de peso. Questione sempre ao seu médico ou farmacêutico sobre os efeitos colaterais dos medicamentos que toma.

Emoções

Muitas pessoas comem quando estão entediadas, tristes, com raiva, ou stressadas, mesmo quando não estão com fome.
Embora possa não ser capaz de controlar todos os fatores que levam ao excesso de peso, fazendo pequenas mudanças nos seus hábitos alimentares e atividade física podem melhorar a sua saúde consideravelmente.

Como posso saber se tenho excesso de peso?

Ganhar alguns quilos durante o ano pode não parecer de grande importância. Mas esses quilos tendem a aumentar com o tempo.
Como pode dizer se o seu peso pode aumentar as suas probabilidades de desenvolver problemas de saúde? Com dois números pode entender o seu risco de uma forma mais exata: o índice de massa corporal (IMC) e o tamanho da sua cintura em centímetros.

Índice de massa corporal (IMC)

O IMC é um dos métodos existentes que podem estimar se está com um peso considerado normal ou se está acima do peso ou até no patamar da obesidade. O IMC mede o seu peso em relação à sua altura e fornece uma pontuação para ajudar a colocar o seu peso numa categoria:

  • Abaixo do peso ideal: Menos de 18.5
  • Peso normal: 18.5 a 24.9
  • Excesso de peso: 25 a 29.9
  • Obesidade: 30 ou mais alto

Sabe como calcular o seu IMC? Veja aqui. (Link brevemente disponível)

Tamanho da cintura

Também a forma como a gordura está distribuída no corpo tem implicações importantes para a saúde.

A gordura que se acumula em torno do abdómen e estômago (por exemplo, a chamada “barriga de cerveja”) prevê problemas de saúde mais graves do que a gordura que se acumula ao redor dos quadris e coxas.

Homens com medidas de cintura de mais de 100 centímetros ou mulheres com medidas de cintura maiores do que 88 centímetros, estão em maior risco de desenvolver diabetes do tipo 2, pressão alta, colesterol alto e doença arterial coronária do que os indivíduos com peso normal ou aqueles cuja gordura se acumula em torno dos quadris.

Não sabe por começar e que caminho seguir? Comece por adoptar estas dicas e comece a perder peso já.

Deixar uma resposta